domingo, 2 de janeiro de 2011

Eu-não-eu

Então é isso. Luzes irradiando, dizendo que é chegado o fim. Ou o início, que seja. Pouco importa, também, a única coisa que sinto é uma gélida sensação de medo, medo do recomeço.
Esse temor traz ao meu rosto lágrimas que há algum tempo estão presas dentro de mim - tudo bem, nem tanto tempo assim. Medo de não ser tão bom como já foi, medo de que seja ainda melhor, medo do otimismo não valer, medo do pessimismo me invadir, medo de que nada mude. Provavelmente, a última opção. Na verdade, é sempre assim... sou tão aparentemente diferente, que minha imutabilidade me assusta. Sou tão instável emocionalmente, que minha incapacidade de sentir novas sensações e minha indiferença contradizem minha personalidade.
Estranho como dessa vez tudo soa além do normal, não pareço-me mais comigo. Ou talvez, só agora tenha descoberto que sou assim, na verdade.
Alteridade. Epifania.

3 comentários:

just bella. disse...

Que coisa mais linda. *-*

deia.s disse...

Gostei do teu blog e estou seguindo!
Se puder e se interessar, segue o meu?
http://amar-go.blogspot.com/

Beijo.

LAO disse...

Bonito o texto. Gostei! :)

Ocorreu um erro neste gadget