segunda-feira, 7 de março de 2011

Parto-me

É como aquela névoa gélida que envolve as nuvens nesses dias chuvosos e apaga todo o azul do céu. O sol vai se escondendo lentamente, até que não há mais sinal do seu brilho. Tudo o que se vê é escuro, triste. Algumas pessoas acham lindos os dias nublados, e o barulho da chuva, verdadeiramente tranquilizador. Ela não. Quer dizer, no fundo ela gostava sim de deitar-se em seu travesseiro ao som de trovoadas. Mas, naquele momento, ela estava chovendo por dentro. Sentia-se inundada demais, e, ao mesmo tempo, completamente vazia. Tudo o que antes ela mais queria, no momento era o que mais a assustava. Precisava de um apoio, alguém que a sustentasse, que "segurasse o seu braço". Lembranças invadiam sua cabeça a todo o momento.

_Vai passar. - era o que uma voz ao fundo dizia.
Ocorreu um erro neste gadget