sábado, 1 de maio de 2010

Destin(ando) - PARTE II

Vi a mim mesma naquelas duas meninas, e tal encontro me trouxe de volta algo que, há muito, já me fazia pensar bastante: a volatilidade de um momento. Há fases e fases na vida, e a grande maioria de nós - ou pelo menos, eu - sempre procura fazer planos friamente calculados para o futuro (e o que é o futuro senão algo que também, um dia, será hoje?), buscando não sei se um consolo para a ansiedade de se saber vivo no amanhã , talvez apenas seja da natureza humana. E, como tal, não saberíamos definir um porquê. Fato é que com o passar dos anos, verificamos que nossos sonhos nem sempre permanecem os mesmos, e, menos ainda, realizam-se. Algumas vezes somos obrigados a mudar o rumo de nossas vidas por um motivo que nem nos cabe contestar. Outras, nem sequer há um motivo concreto, e, no entanto, o tempo se encarrega de desencaminhar nossas rotas pré-traçadas.
Creio que momentos tragam consigo uma sensação de eternidade. Nosso eu é invadido por turbilhões de sentimentos, tão fortes e intensos que nos dão a impressão de que nunca irão acabar. No entanto, somos forçados a acreditar que, já dizia um velho por aí, nos acostumamos a tudo - é o que chamo de 'conformidade compulsória'.
O abraço dos dias que passam estanca todos os sofrimentos, e mostra-nos que o impossível é mera negação da desoladora efemeridade que bate à nossa porta constantemente.
..

"Ah, e dizer que isto vai acabar, que por si mesmo não pode durar. Não, ela não está se referindo ao fogo, refere-se ao que sente. O que sente nunca dura, o que sente sempre acaba, e pode nunca mais voltar. Encarniça-se então sobre o momento, come-lhe o fogo, e o fogo doce arde, arde, flameja. Então, ela que sabe que tudo vai acabar, pega a mão livre do homem, e ao prendê-la nas suas, ela doce arde, arde, flameja."
(Clarice Lispector)

3 comentários:

Rubens disse...

Shakespeare uma vez perguntou: Ó beleza! Onde está tua verdade?
pois a sua está aqui e em teu coração thaís!
vlw!
bjs

Yasmin de Oliveira disse...

3 coisas a te dizer:
primeira) thaís, vc tá demais! texto show de bola!
segunda) de novo, foi pra mim? auheuahueha
terceira) A-D-O-R-O Clarice Lispector!

Thaís disse...

Rubens, tenho nem palavra pra responder teu comentário!
e Yasmin, brigada =)
se vc o interpretou de tal forma, pode ter sido pra vc sim, haha

e eu A-M-O a Clarice tb.

Ocorreu um erro neste gadget