domingo, 13 de junho de 2010

Descompasso

OIhou para o relógio. Ainda eram 3 da tarde e a ansiedade para a noite era grande demais. Quando já parecia haver passado uma eternidade, resolveu olhar novamente a hora: 3 horas e 8 minutos. "Meu Deus, esse ponteiro só pode estar estragado!" - disse enfurecido, verificando posteriormente que o outro relógio da casa marcava exatamente o mesmo horário. Ligou a televisão, nada o distraía. Folheou páginas e páginas do livro que havia começado a ler 3 meses antes. Folheou apenas, porque aquelas letras não diziam nada para ele, com a cabeça tão dispersa no momento. Aliás, dispersa não: concentrada no acontecimento que esperava.
O telefone tocou, "não, mamãe, não poderei jantar com a senhora hoje.. Tenho um compromisso às 9 da noite. Desculpa seu filho.. tá, tá, aham, também te amo mãe." Pensou então em sair para dar uma volta, quem sabe assim o tempo não passaria mais rápido. Caminhou pela rua, mas logo voltou à casa pensando: "agora sim, deve estar quase na hora!". 4 horas, 05 minutos. "NÃO É POSSÍVEL!"
Fazia frio. Sentou-se em sua cama e começou a observar um inseto que passeava pelo chão de seu quarto. O bichinho rodopiava sobre as patas e não conseguia sair do lugar. Achou graça. Logo o sono foi tomando o lugar da agonia, seus olhos foram ficando pesados, pesados... Não dormia há dias só pensando no que iria acontecer - nada podia dar errado!

Quando acordou estava escuro. Olhou para fora da janela, tantas estrelas só podiam dizer uma coisa: já era tarde! Não sabia onde havia deixado seu relógio, procurou-o apressado. 1 e meia da madrugada! "@$%@£#*!! que $%*#@&@ de tempo, porque passa assim tão rápido?!"

2 comentários:

Yasmin de Oliveira disse...

posso levar isso pra merda da intimidade? kkkkkkkkkkkkkkkkk

Thaís disse...

não! hahuahu

Ocorreu um erro neste gadget