quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Broken

O que sinto é tão intenso que não sei nomear. Não sei tirar da cabeça, não sei ao menos como fazer isso. É tudo tão novo e, ao mesmo tempo, tão familiar, que é difícil não estranhar essa sensação gélida no estômago que sinto a cada vez que me lembro.

Ainda acho que tudo o que fiz foi errado.

2 comentários:

Yasmin de Oliveira disse...

REALMENTE, nos últimos tempos seus textos estão indecifráveis! tsc tsc tsc, eu me sinto filosoficamente burra... ah nem! uHEUhuheuhuhea
mas ainda escreve muitíssimo bem.. =)
beijo.

Kenninha disse...

Textos indecifráveis são, geralmente, os mais carregados de emoção e sentimento. São tentativas de mensurar o tamanho do nó preso na garganta, de dizer o quão "broken" podemos estar. Muitas vezes, são só palavras aturdidas, que insistem em se libertar. São desabafo. E desabafos ninguém precisa entender, só escutar. Parabéns pelo texto. Belíssimo.

Ocorreu um erro neste gadget